A alcatra e suas confusões conceituais (1)

 

O que será mais macio: a alcatra ou um bumbum?

 

AV594~BBQ-Posters

A maluquice com a etimologia ou acepções dos nomes dos cortes de carnes não pára. Quanto mais se fuça, mais divertido fica.

Uma notícia antiga de um jornal do Interior:

“Crioulo Zôiodocão mata Zé Brabo, filho do ex-prefeito Euerzenóbio Brabo.

Pirancambanhuba do Sul - Zé Brabo, filho do estancieiro e prefeito da cidade, Dr Euerzenóbio Brabo, embora moço franzino, sempre quis fazer jus ao sobrenome famoso criando encrencas de toda a sorte. Voluntarioso, escudando-se no poder do pai, um dos homens mais ricos e poderosos da região, pôs-se além da margem do juízo para cometer sua última loucura: “andar nas alcatras” de um certo crioulo alcunhado de Zôiodocão, que também tinha fama de brabo, mas segundo as más línguas, era mais manso do que se poderia supor. Uma moça.

Não era.

Ao sofrer o ataque do rapaz, o descomunal crioulo, negro retinto, ficou cinza de raiva. Com a justa indignação que só o mais profundo sentimento de ultraje pode provocar, Zôiodocão, botando fogo pelas ventas, olhos injetados de sangue e ódio, reagiu como o próprio Tinhoso. Pulou, esperneou e se sacudiu com tanta violência que fez o corpo do rapaz voar a metros de distancia. O resultado não poderia ser outro: Zé Brabo “bateu a alcatra na terra ingrata”.

A missa de Sétimo-Dia foi ontem.”

Explicando:

Montar nas alcatras” é nada mais nada menos que montar em pêlo, sem a sela. Crioulo é um tipo de gado e também designa uma raça de cavalos. “Bater a alcatra na terra ingrata”, cruz credo, é morrer. E onde se lê alcatra leia-se, por extensão, nádegas. Ou bunda. Ou bumbum...

Em suma, uma das acepções de alcatra é tabuística, sendo razoável afirmar-se, com o devido recato, que tem algo a ver com maciez. Tanto o corte da carne bovina quanto os glúteos humanos possuem tal virtude, resguardadas as devidas exceções,  claro.

2 comentários:

victor disse...

Mas Essa alcatra da foto, não é macia não é dura, do jeito que nós gostamos velho. rsrsrs

EDER LOURENÇO

Ricardo disse...

Obrigado pela visita, Victor