Fígado de boi, delícia no churrasco.

Há quem prefira a morte, com todo o seu cortejo de horrores, a comer um suculento bife de fígado, que não é carne, mas uma “glândula volumosa anexa ao tubo digestivo...”, segundo o Houaiss.

Paciência. Há, também, os que não vivem sem comer essa iguaria.

É incomum nos churrascos. Falta de hábito e injustiça. Uma vez presente, tenha medo, não: faz sucesso.

Facinho facinho: em bifes de mais ou menos 1cm de espessura, livres das peles. Tempere-os com azeite, bastante alho socado e sal fino. Meia hora de descanso basta. Na grelha, toda a atenção é pouca, pois assa muito rápido e deve ser servido ao ponto, mais para mal passado. Sirva em forma de iscas.

Uma informação para os adeptos de tira-gostos: no Mercado Municipal de Belo Horizonte encontram-se as melhores iscas de fígado do planeta, feitas na chapa. Viva os mineiros!

18 comentários:

Joaninha disse...

Adorei o seu post! :-)
Em criança detestava fígado mas agora acho uma iguaria. Adorei a sugestão de grelhá-lo, vou experimentar.

Ricardo disse...

Obrigado pela visita. Não deixe de fazê-lo: é muuuuuuito bom.
Abraços.

valentina disse...

Sou fã de fígado mas nunca comi em churrasco.tenho que provar depois de ler o teu post.

Cláudia A. disse...

Eu sou maluca por fígado. Só de imagin-a-lo no churrasco fiquei com água na boca. Del´´icia de idéia.

Ricardo disse...

Valentina e Cláudia,
Como eu disse,o fígado é uma figura incomum nos churrascos. Aprendi com meu pai, que aprendeu com um açougueiro português amigo, no bairro da Saúde, zona portuária aqui do Rio, recheada de portugas da melhor qualidade.
Como já afirmei: é muito bom.
Abraços

Elvira disse...

Gosto muito de fígado. No churrasco, nunca experimentei. Mas parece óptimo.

Um abraço.

Ricardo disse...

Pois, experimente, Elvira...e perceba o quanto é bom.
Abraços.

fezoca disse...

eu sou das que prefere a morte... ;-))
figado eh o trauma da minha infancia. nunca dei pro meu filho, tal a minha paura... em churrasco, nao posso nem imaginar, aidjizuis! ;-)

beijao,

Ricardo disse...

Fezoca,
Ainda bem que comecei o post suscitando a relação de amor e ódio pelo fígado...Faz de conta que v. não leu!

Abraços...

Agdah disse...

Oh, Senhor!!! Só de ler o título já comecei a salivar. Eu simplesmente adoro "figo" de boi e assim então deve ser divino.

Ricardo disse...

Agdah,

Faça e depois diga se não é bom. Só não convide a Fezoca, coitadinha, que tá no grupo dos que "preferem" morrer, mas pertence também, com muita honra e mérito, ao dos que merecem viver (e muito), mesmo não suportando fígado.
Abraços.

Bárbara disse...

Queridão, tudo de bom. Sou a única da família que come o injustiçado fígado de boi! No próximo churrasco, farei isso, sem dúvida. Um beijo e um queijo!!!

www.trivialfenomenal.zip.net

Ricardo disse...

Bárbara,
Pode apostar: é bom, muito bom!
Abraços.

Verena disse...

Ricardo, meu querido amigo, compartilho da opinão da Fer, tenho horror ao Fígado...nem posso imaginar ele ao lado das deliciosas carnes do churrasco...never, never...mas imagino que para quem aprecia deve ficar interessante grelhado!
Um abraço!

www.mangiachetefabene.wordpress.com

Ricardo disse...

Oi, Verena.
Uma pena, cê num sabe o que tá perdendo!
Abraços

Anônimo disse...

É simplesmente D I V I N O.
Aqui em casa fazemos muito churrasco e sempre compramos fígado.
Eu e minha filha adoramos.
É bom demais, gente!!!
Já experimentou churrasco de rins de boi? Também é ótimo.
Agora tem que saber limpar para não ficar com gosto ruim.
beijos

DiMinas disse...

Ceguinho, conheci seu blog há pouco tempo e estou ADORANDO! Sou fã de churrasco e estou começando a trabalhar profissionalmente em pequenos eventos. Já tinha lido sobre o fígado na churrasqueira e vou ser obrigado a experimentar.
Só um pequeno acréscimo:
A famosa porção servida no Mercado Central de BH é o famoso Fígado com Jiló. Simplesmente fantástico e muito bem acompanhado de uma gelada e lá é bom tomar cerveja em pé e no meio da muvuca.

eliezer disse...

Muito bom este post, vou esperimentar esta sujestao.
Quem acha que conhece Belo horizonte sem ter ido ao mercado central, nao conhece. Quem vai a Belo Horizonte e nao dá uma passada no mercado central, nao foi. É como ir à Roma e nao ver o Papa.