Retrato “3x4” da Feijoada: o caldinho-de-feijão


Simpático, gostoso, cheiroso, bonito, substancioso, fácil de fazer (e rimar...) e, ainda por cima, uma ótima opção de acompanhamento para churrascos. Receitas? Centenas...Cada casa um feijão, cada panela um caldinho, cada alma um prazer. Há quem fale no caldinho “verdadeiro”. Conversa fiada, preciosismo bobo, papo para boi dormir. A única verdade, ainda assim relativa (pois há quem os faça apenas puxados nos temperos, sem carnes), é que o caldinho de feijão “deve” ser, nada mais nada menos, apenas um retrato 3x4 de uma feijoada. Igual aos encontrados nos templos da honrada “baixa-gastronomia” carioca, mineira, paulista, etc, nossos amados e indispensáveis botequins.

A receita mais perfeita que conheço é facílima: o seu próprio feijão. Faça-o como sempre. E pronto! Metade do caminho vencido. Lembre-se, porém, que o charme do caldinho está no sabor que lhe emprestam as carnes salgadas, o toucinho de fumeiro, o paio e, claro, o refogado final.

Agora, é só o trabalho de transformá-lo em caldinho, engenharia que as vovós dominavam como ninguém e que você, intuitivamente, haverá de desenrolar com facilidade.

Preparo: retire as carnes, reservando-as para, se quiser, desfiá-las e, ao final, adicioná-las ao caldinho, tornando-o mais “substancioso”. Há quem processe o feijão apenas no liquidificador. Outros, vão além e passam o creme resultante na peneira, o que torna o caldo mais uniforme, menos “granulado”.

Sirva em copos ou canequinhas, enfeitando-o com cubinhos de toucinho fumeiro e alho picado bem fritinhos, crocantes. Complemente com salsa e cebolinha bem batidinhas. Há quem ponha queijo (ralado ou em pedaços). Não gosto muito.

Acredito, por experiência, que um quilo de feijão (o preto é tradição, mas o jalo, muito usado em Minas, dá um caldo diferente, avermelhado...uma coisa!) sirva 20 pessoas “educadinhas”, claro.

Só há um risco: ninguém dar bola para o seu churrasco.

2 comentários:

fezoca disse...

Meu caro Ricardo, me diga se esse caldinho eh moda nova [ultimos 15 anos], pois eu NUNCA tinha visto isso ser servido em lugar nenhum nos meus anos de Brasil. Agora vi, eh claro, em todos os restaurantes brejeiros--desses que fazem comidinha caseira, mineira, da roça. Achei super gostoso, com pimenta! :-)

bjs,

Ricardo disse...

Fezoca,
O caldinho de feijão é coisa antiga, de boteco de subúrbio. Daqueles que a gente ia há 20/30 anos atrás, pela fama.
Um exemplo, é o Rei do Feijão, em Caxias, que é um município colado com o Rio. O Januário, dono da casa, fez fortuna vendendo feijoada e servia um caldinho esperto.
Nos últimos anos, virou uma febre nos pseudos botecos-modernosos. Mas é coisa antiga. E, claro, "tem" que levar pimenta.
Abraços.